Governo promove boas práticas de utilização de inteligência artificial na Administração Pública

Decorreu no passado dia 24 de outubro, no Instituto Nacional de Estatística, em Lisboa, a apresentação de 15 projetos de investigação nas áreas da inteligência artificial e ciência dos dados para aplicação na Administração Pública. No evento estiveram presentes a Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel e o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Os projetos terão um financiamento de 3,8 milhões de euros pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), no âmbito do programa INCoDe.2030, estando enquadrados no eixo 5 dedicado à investigação. Serão desenvolvidos em diferentes áreas como a saúde, educação, cultura, mobilidade e gestão do território e têm por objetivo reforçar a modernização da Administração Pública e o seu papel e benefícios juntos dos cidadãos.

A propósito da crescente importância da utilização das novas ferramentas tecnológicas no setor da Administração, a Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa afirmou que o objetivo é “melhorar serviços, tratando os dados de forma a que possam ser utilizados para prevenir problemas em vez de os ter de remediar.” A ministra acrescenta ainda que a promoção deste tipo de iniciativas “permite-nos ter uma ideia mais abrangente das potencialidades da inteligência artificial, não a associando apenas a robôs ou robôs que substituem pessoas. A inteligência artificial e ciência de dados servem para melhorar a nossa qualidade de vida e também podem ajudar a modernizar os serviços públicos portugueses”.

Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior

Por seu lado, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior afirma que o "relatório do World Economic Forum assume para os próximos quatro anos a possibilidade de crescer em 10% o volume de emprego associado às novas tecnologias digitais. Mas tudo depende das competências que conseguirmos desenvolver para não sermos meros utilizadores de sistemas que são desenvolvidos por outros, mas estarmos associados ao desenvolvimento desses sistemas. Por isso é que estamos a antecipar com a Administração Pública a utilização de novas ferramentas que levem ao bem-estar social e à qualidade de vida e de emprego. Cada vez mais fazer ciência é criar emprego". O ministro pede ainda “contributos a investigadores empresários e à Administração Pública para a construção de uma estratégia nacional para a utilização da inteligência artificial a ser desenvolvida no âmbito do INCoDe.2030 e que será posta a debate público”.

Dentro de 18 meses espera-se que já existam resultados dos projetos agora apresentados e até final deste ano será lançada a segunda fase de candidaturas para este programa.

Mais informações sobre os Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico em Ciência dos Dados e Inteligência Artificial na Administração Pública – 2018 nos links:INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL e CIÊNCIA DOS DADOS

SIGA-NOS

CONTACTOS

.PT
Rua Latino Coelho, nº 13, 5º piso
1050-132 Lisboa
Portugal

211 336 464