Assegurar a generalização do acesso equitativo às tecnologias digitais a toda a população, para obtenção de informação, comunicação e interação.

Perante a crescente digitalização do mundo atual presente em todos os domínios – da educação à indústria, do entretenimento à vida social, das cidades à agroindústria, da medicina ao ambiente – é imprescindível dotar a população portuguesa das capacidades e meios de acesso e utilização das tecnologias digitais.

Contudo, para o conseguir é necessário superar um grande número de obstáculos e limitações que afetam muitos cidadãos, muitos deles já fora dos percursos educativos e até da formação profissional.

Assim, para garantir contextos de equidade e de coesão social que promovam um desenvolvimento equilibrado e sustentável, é essencial sensibilizar a população para a importância das competências digitais, nomeadamente através da criação de centros de recursos e conteúdos e de ações de formação na ótica dos utilizadores, ao mesmo tempo que se garante a coesão territorial, assumindo a necessidade de reforçar a utilização de serviços em banda larga. Para que se atinjam estes objetivos, é crítico reforçar a igualdade de género no acesso e desenvolvimento de competências digitais, assim como promover aproximações regionais, colmatando as assimetrias que ainda persistem em Portugal.